sábado, 26 de junho de 2010

Jimmy Page visita escola de samba carioca.

Boa noite galera do Rock and Roll !!! Como estão?

Essa semana, saiu uma notícia de que o mestre da guitarra, Jimmy Page, esteve no Rio de janeiro na quadra da escola de samba “Mangueira” e pretende visitar mais algumas outras escolas.

Agora eu me pergunto, se o Deus da guitarra (sim, posso afirmar isso com toda certeza. Depois de Hendrix, ele é realmente “o” cara no instrumento de cordas!) pode visitar uma escola de samba e curtir o estilo e todo aquele som, porque ainda existe preconceito de muitos roqueiros?

O cara acha que só porque ouve Led Zeppelin, Deep Purple ou até mesmo as bandas mais pesadas de rock and roll, como Slayer, Megadeth etc, não pode ouvir o samba ou outro estilo de música que seja totalmente diferente daquele. Caso contrário, seria tachado de traidor do movimento ou falar abóboras.

Esse negócio de rótulos é muito complicado. A sociedade é cruel e praticamente obriga as pessoas a escolherem um lado em detrimento de outro. Acontece até mesmo nas diversas vertentes do rock: se fulano só ouve Punk, ele não “pode”, de forma alguma, ouvir Heavy Metal. E olha que no começo dos anos 80 era muito pior. Hoje, embora o pensamento tenha evoluído, a rotulagem (e por que não chamar também de preconceito), não deixou de existir.

Devemos, de uma vez por todas, acabar com isso e curtir o roquezinho, independente de qual vertente seja. A música é um dos maiores meios de divulgação e, sem dúvida alguma, deve ser usada de forma inteligente e consciente! 

Link da noticia

8 comentários:

Jefferson disse...

o preconceito nesse sentido sempre existiu, e acredito que até certo ponto sempre existirá, pois já é algo que está "cristalizado" na cabeça das pessoas.
Em parte me considero um pouco radical nesse sentido, pois realmente repudio a maioria dos outros estilos que não sejam Rock de raíz, mas concordo com o que o amigo disse. Precisamos começar a derrubar esses preconceitos, e ouvir música independente de estilos, para louvar em última instância a música como forma suprema de arte e forma do ser humano se expressar com o mundo!

http://figurinhasdorock.blogspot.com/

abraço!

Mah Sakura disse...

Tb não curto esse lance de "rótulos" pq não sou produto, mais não curto samba não, e não pq tenho q só ouvir rock, não é isso não, é pq não dá mesmo rsrs.
bjocas querido.

Phelipe Stanley disse...

Olá, já adicionamos seu blog aos parceiros do Bootlegs KISS... Você já pode fazer no seu também!


Sucesso e Long Live Rock And Roll!!

melimaenomenon disse...

esse negócio de rótulo é coisa de adolescente desocupado que "TEM" que fazer parte de algum grupo pra ser alguém! Ponto. Depois disso é tratar de crescer, aparecer e definir sua própria personalidade... e assumir o que curte, c******!


Eu me considero essencialmente roqueira pq pelo menos 90% do que eu gosto de ouvir no meu player é rock... e, apesar de ter preferência por rock classíco e hard rock (e não conseguir deixar de ter sempre um gothic metal como música de fundo), ouço, e MUITO, vários outros estilos.


Agora se eu ligasse pra essa besteira e escolhesse minhas amizades por gênero musical, ia deixar de conhecer pessoas maravilhosas, sem as quais hoje não saberia viver sem! Minhas duas melhores amigas, por exemplo, gostam principalmente uma de indie e outra de sertanejo hahaha

Enfim, não curto o que elas curtem, mas não tenho "preconceito". PRÉ-CONCEITO é o conceito que você faz de algo que não conhece. Eu tenho gosto pessoal e opinião, diferente. Sei muito bem do que eu tô falando quando digo que gosto ou não gosto de alguma coisa, porque conheci anteriormente de alguma forma. Se eu não ouço tal tipo de música ou não frequento tal tipo de balada é pq EU não gosto, não pq seja ruim; principalmente, não pq se eu ouvir tal tipo de música ou for a tal tipo de lugar vou ser "menos roqueira" por causa disso... chega dá canseira de gente que pensa assim.


A propósito, sou mangueirense desde criança e sempre que dá assisto o desfile e sofro na apuração. Me processesm.



Bom findi!

Pierrot disse...

"traidor do movimento" ~ já me chamaram disso! kk... Pois é, nobre amigo, o preconceito não se encontra apenas na nossa sociedade, como também, no meio do Rock´n´Roll. Quando eu tinha uma banda de Heavy e com os colegas ouvia Melódico, ouvia mta coisa nos ensaios. Enfim, esse definitivamente, não é o que o Rock prega. Pegando desde a contra-cultura, passando por Cazuza e o mestre (assim eu chamo) Raul Seixas. Faziam do estilo musical como uma cataputa de liberdade e consciência, tocando desde bossa-nova a baião, vide Raul. O Sr. Jimmy Page é cidadão carioca já faz um tempinho, e também tem uma casa na Bahia. É claro, que ele não se apegará a falsa mesquinhez de esteriótipos já ultrapassados. Pois como um amigo meu costuma dizer: ''Vc pode fugir do Rock, mas o Rock nunca irá fugir de vc".

Excelente texto.
Parabéns pelo blog!
>>>seguindo!

Erzsébet disse...

Preconceito musical é uma coisa que realmente está em alta, principalmente para aqueles que se dizem "do rock". Uma coisa é dizer que não gosta de tal estolo, outra coisa é desrespeitar o artista e os fans dele. Entretanto, existem alguns que realmente passam do limite, fans ridículos e artistas que não dão importancia para a musica.

O samba é um ritmo nobre, que é a cara do país e não deveria ser ignorado e desprezado, como é por muitos. Muita gente "Não-ecletica" que vai pros micaretas da vida ouvir babado novo e depois fala q nunca ouviu e nem quer saber de Pixinguinha...-_-

Jimmy Page é um músico de respeito e sabe identificar o que é a musica feita do coração msm; ele não precisa desses preconceitos bobos, pq ele não precisa dar explicações a ninguem...

Enfim, é um assundo mto complicado.

FLaemmchen

Thiago Capano disse...

É por isso que eu digo: não gosto só de rock, gosto de música BOA, sem nenhum rótulo. E não vou me importar com o que as pessoas pensam sobre eu curtir Slayer e Seu Jorge :D

Sweet Darling disse...

Preconceito musical é ridículo.
Música foi feita pra ser ouvida, e não discutida.